FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA

Recupere o bem-estar e a qualidade de vida em situações de AVC, Parkinson, paraplegias, entre outros.

Está diagnosticado com uma doença neurológica? Um familiar seu sofreu um AVC ou teve um acidente que causou uma lesão na medula? A Fisioterapia é uma área determinante para a sua recuperação e reintegração, com o objetivo de manter e melhorar a sua qualidade de vida!

Doenças neurológicas

Consideram-se condições do foro neurológico todas as patologias que afetam o sistema nervoso central ou periférico. Estas provocam alterações motoras, cognitivas e neurológicas que se limitam a capacidade motora e de equilíbrio, tais como:

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O AVC é uma doença súbita que afeta uma zona localizada no cérebro. Podem ser de dois tipos: isquémicos, em que o transporte de sangue é interrompido, ou hemorrágicos, em que há rompimento de um vaso sanguíneo. Dependendo da região afetada, as sequelas do AVC podem ser mais ou menos graves.

 

Quanto mais cedo um Fisioterapeuta atuar nestes casos, melhor poderá ser o prognóstico e a recuperação do doente.

 

Doença de Parkison (e outras Doenças do Movimento)

A Doença de Parkinson é provocada pela lesão de áreas muito específicas, responsáveis pelo movimento e coordenação. Por esse motivo, os sintomas mais comuns em doentes de Parkinson são a bradicinesia (movimentos lentos), tremor, rigidez e instabilidade postural.

 

A Fisioterapia poderá ajudar o doente a retardar os efeitos da doença e a melhorar a sua qualidade de vida.

Lesões vertebro-medulares (paraplegias, tetraplegias)

Estas lesões, tal como o nome indica, ocorrem na região da medula e são causadas, na maioria das vezes, por acidentes de viação. Podem ser divididas em paraplegias (quando afetam os membros inferiores e parte do tronco) ou tetraplegias (quando afetam os quatro membros do corpo e tronco). Podem ainda ser classificadas como completas ou incompletas, dependendo se existiu um corte total ou parcial da medula, respetivamente. Esta característica é determinante no prognóstico de recuperação destes doentes. 
 

Uma pessoa com paraplegia ou tetraplegia deverá ter acompanhamento em Fisioterapia ao longo da vida, de forma a manter a recuperar e/ou manter os níveis de atividade muscular, trabalhar o equilíbrio e coordenação, realizar transferências de posição, entre outros.

Outras doenças neurológicas

Existem muitas outras doenças neurológicas em que a Fisioterapia tem um papel preponderante na recuperação, entre as quais:

  • Demência vascular

  • Demência por corpos de Lewy

  • Doença de Alzheimer

  • Doença de Huntington

  • Esclerose Múltipla

  • Esclerose Lateral Amiotrófica

  • Epilepsia

  • Lesões de nervos periféricos

  • Paralisia cerebral

  • Traumatismo craneoencefálico

fisioterapia neurologica cadeira de rodas

Fisioterapia Neurológica

Sendo doenças que afetam o movimento e equilíbrio, a Fisioterapia é essencial na reabilitação de doenças neurológicas. Numa fase inicial/aguda poderá determinar o sucesso da recuperação, continuando a ser imprescindível na manutenção da condição física ou no retardar dos efeitos de doenças mais progressivas.

Tenho uma doença neurológica ou conheço alguém com uma. Como pode a Fisioterapia ajudar?

De uma forma geral, a Fisioterapia é relevante para:

  • O aumento da força muscular

  • A melhoria das amplitudes articulares

  • A ativação ou inibição do tónus muscular

  • O treino de equilíbrio e controlo postural

  • A realização de atividades da vida diária

  • A independência funcional

Como são as sessões de Fisioterapia para doenças neurológicas?

As técnicas de intervenção do Fisioterapeuta em condições neurológicas estão direccionadas para melhorar a força, o equilíbrio e a coordenação motora.

As sessões terão sempre em conta as características da doença e da pessoa, sendo delineado um plano individual específico de acordo com os objetivos do doente. O mais importante é que esses objetivos sejam realistas e motivadores para o doente.

Quanto tempo demora a recuperação de doenças neurológicas?

 

Esta é uma questão de “um milhão”. A recuperação de uma doença neurológica pressupõe uma reabilitação a longo prazo pois, mesmo em casos de doença aguda (como o AVC), poderão existir lesões permanentes que necessitam de ser trabalhadas/estimuladas ao longo da vida.

 

Numa fase inicial, a frequência do número de sessões pode ser determinante no sucesso da recuperação a longo prazo, podendo depois tornar-se mais espaçadas com a colaboração e independência do doente.

Para mais informações, entre em contato connosco ou agende uma sessão de avaliação para iniciar a sua recuperação o mais brevemente possível. 

Image by Ekaterina Shakharova

Comece hoje mesmo a recuperar a qualidade de vida perdida.